• 21 de agosto de 2020

    Porque sentimos muitas emoções ao mesmo tempo?

    – Eu não acredito nisso, devo ser meio louco!

    – O que te faz pensar isso?

    – É que… eu estou com raiva e ao mesmo tempo me sentindo leve, daí de vez em quando sinto como se estivesse meio triste, mas alegre!

    – Tá bem, vamos olhar isso de perto. O que aconteceu, de verdade?

    – Bem… é que eu terminei com a minha namorada depois de ver o que ela me fez.

    – Sim. O que ela te fez foi algo que foi difícil para você não?

    – Claro! Depois de tudo ela me dá um chifre desses!

    – Daí a raiva não? Ao mesmo tempo, você tem trabalhado aqui a sua capacidade de dizer o que te incomoda não é? Será que teria terminado com ela uns meses atrás?

    – Não…

    – Daí a leveza.

    – Hum… faz sentido.

    – Porém, de um jeito ou de outro, e o fim de uma relação, certo? Que você queria que desse certo.

    – É, por isso eu fico meio triste… mas… ao mesmo tempo, dizer para ela que não queria mais ser tratado do jeito que ela me tratava me faz sentir feliz… esperançoso.

    – Opa, então são cinco emoções! Agora me diga: faria sentido não ter alguma delas?

    – Não… pensando bem, não.

     

    Sentir várias emoções ao mesmo tempo é uma sensação que pode soar como desorganização para muitas pessoas. Embora difícil de administrar em alguns casos, o sentimento de várias emoções ao mesmo tempo é uma experiência humana mais comum do que sentir apenas uma de cada vez, você sabe porque?

    Isso tem a ver com a natureza das emoções. Não é à toa que todos possuímos a capacidade de sentir. A emoção é a forma mais eficaz de nos fazer agir de alguma maneira. Precisamos delas como uma forma de motivar nossa ação no mundo. Porém, as emoções não são apenas motivadores, eles também são reações, ou seja, as emoção nos fazem agir porque percebem algo no mundo (tanto externo quanto interno). Assim sendo, sentimos como uma forma de reagir aos estímulos do mundo. Sentimos várias emoções porque as situações do mundo exigem diferentes respostas.

    Porém, esses estímulos quase nunca possuem apenas um significado. No caso acima, o término de uma relação, sentimos várias emoções porque relacionamentos são complexos e envolvem muitas expectativas, desejos, anseios que ultrapassam nossa cognição adentrando, inclusive, em nossa biologia e história enquanto espécie. Logo, é normal que, se as emoções reagem aos estímulos e estes tenham vários significados, tenhamos várias emoções em relação à um mesmo estímulo.

    O que fiz com meu cliente foi deixar claro para ele a imensa riqueza do que havia acontecido com ele. Sentir muitas emoções apenas indica que você é um ser humano capaz de perceber e reagir à riqueza do mundo. Poder sentir tristeza, raiva e alegria ao mesmo tempo é algo que, no caso de meu cliente, poderá impedi-lo de voltar atrás na sua decisão, por exemplo. A tristeza o lembra do fim, a alegria o faz entrar em contato com a satisfação de não estar em uma relação abusiva e a raiva permite que ele se afaste. Então todas essas emoções, agindo em conjunto, nos fazem criar respostas completas à situação.

    Acreditamos que “o certo” é sentir apenas uma emoção de cada vez por termos uma percepção inadequada da natureza das emoções. Muitos, inclusive acreditam que as emoções são completamente inúteis e ponto final. Porém essas percepções apenas deixam a vida mais complicada para nós mesmos. Ao nos abrir para as emoções que sentimos é possível entender melhor de onde ela vem e o sentido que tem. Entender isso, em boa parte dos casos nos ajuda a ver melhor quem somos, como pensamos e porque agimos como agimos. Esse é o conteúdo básico para a mudança.

    Então, temos muitas emoções e muitas emoções ao mesmo tempo como uma forma de adaptação. Embora possa ser difícil para algumas pessoas sentir todas elas, cabe frisar que isso pode ser mais um problema  de falta de vivência com as emoções do que um problema “da emoção” em si. Ser capaz de suportar as emoções, mesmo as contraditórias, nos ajuda a perceber como agir no mundo. E quanto mais percebemos, mais sentimos. Assim, longe de louco ou “doente”, se você sente várias emoções em relação à um mesmo estímulo, você é, na verdade, alguém com percepção rica do mundo.

     

    Comentários