• 22 de agosto de 2012

    Tédio

    – Então, estou entediado com tudo isso sabe?

    – Sei, pelo que você me conta as coisas não fazem sentido né?

    – É. Eu queria estar fazendo alguma coisa, mas não tenho tesão para fazer nada.

    – Entendo. Mas me diga, onde estaria esse tesão?

    – Não sei, deveria estar no que eu estou fazendo não é?

    – E não está?

    – Não

    – Então onde está?

    – (pensativo)

    – O tesão, motivação somos nós quem criamos. Nós é quem emprestamos sentido para o que fazemos. Como você dá sentido ao que você faz?

    – Hum, acho que não dou.

    – Entendo, bom, vamos trabalhar com algumas experiências para você fazer e vamos ver o resultado que isso vai trazer, o que me diz?

    – Vamos lá.

    Tédio é uma sensação que nos informa que gostaríamos de estar vivendo algo que não estamos vivendo neste momento. Podemos fazer isso de duas formas básica: a primeira é simplesmente não estarmos fazendo o que realmente desejamos; a segunda é não sabendo aproveitar o que estamos fazendo.

    Para a primeira é importante criarmos oportunidades para fazermos oque desejamos, criar o compromisso de buscar nossos desejos. Esse compromisso pode ser começar a ter atitudes pequenas, mas que levem ao objetivo maior.

    A segunda já é um pouco mais complexa pois envolve descobrir como criamos a nossa motivação. Muitas pessoas não sabem sentir prazer e envolvimento com o que estão fazendo. Uma das primeiras metas é aprender a sentir prazer no que está fazendo. Descobrir qual o elemento da experiência que você está tendo que lhe dá prazer. Para isso é necessário sentir – com o tato, visão, audição, gosto e cheiro – a experiência e destes elementos detectar qual o que lhe dá prazer. Depois disso podemos desejar passar pela experiência prazerosa novamente e com isso começar a gerar a motivação para ir novamente fazer o que gostamos. Com isso começamos a “matar” o tédio.

    Abraço

    Visite também o nosso site: www.akimpsicologo.com.br

    Comentários