• 30 de outubro de 2020

    A importância dos valores

    – Mas eu não sei se consigo.

    – Olhe, não sei se o problema é esse.

    – Qual seria?

    – Pra que você quer fazer isso?

    – Ah, não sei direito, mas o pessoal fala que é importante.

    – É para você?

    – Não sei… acho que não.

    – Conhecendo você, não o vejo buscando uma vitória apenas pela vitória. Outras pessoas, como seus amigos, vêem valor nisso, mas não sei se você vê.

    – De verdade… não.

    – Sim, talvez você possa se ocupar de algo que realmente sente que tem valor dentro disso aí, o que te parece?

    – Hum… pode ser… mas não sei o que.

    – Você gosta de ajudar, não?

    – Gosto.

    – Que tal ajudar eles com isso ao invés de fazer isso por eles?

    – É uma boa!

     

    Vivemos uma sociedade que foca na competência e eficácia. Logo, a grande pergunta é: consigo ou não fazer? Porém, antes dessa pergunta, existe outra que é mais importante e se refere aos motivos que nos levam para um caminho ou outro: que valores são importantes para mim?

    A noção de valores em uma sociedade consumista parece retrógrada. Porém, antes do consumistas, ainda somos seres humanos e os valores nos acompanham mesmo dentro desta atmosfera. Os valores tem uma natureza abstrata, de certa forma, não conseguimos precisar com certeza o motivo que nos leva a eleger um valor ao invés de outro. Ao mesmo tempo, seu efeito é muito concreto: uma atividade ou atitude que nos conecta ao valores que defendemos fazem muito sentido e acrescentam a força a nossa vida e o contrário tira a energia e o desejo de viver.

    Porém, quando digo valores que “defendemos”, não trato apenas daquilo que falamos. Muitas pessoas tem um discurso, o qual, muitas vezes, vai contra o seu desejo e os seus valores próprios. O importante é que os valores defendidos sejam aqueles que realmente fazem sentido para a pessoa. Além disso, defender não é torná-los uma política pública, mas sim, vivê-los através de atitudes no dia a dia. Nesta ótica, os valores se tornam importantes aliados na maneira pela qual guiamos nossas escolhas.

    Ao tomarmos nossos valores nas mãos, é possível usá-los como bússolas que direcionam o nosso desejo. Assim a atitude de escolher uma mudança de profissão, por exemplo, deve levar esses valores em consideração. Cada pequeno ato, como falar ou não falar algo que pode machucar alguém, mesmo sendo verdade; a maneira de tomar banho (deixando o chuveiro ligado o tempo todo ou não), as roupas que se compra ou não e até os alimentos que comemos assumem um valor diferente, mais profundo.

    Ao mesmo tempo, perceber nossos valores significa vê-los dentro de um contexto maior. Neste, todos possuem valores e muitos são diferentes dos nossos. Assim sendo, tal como respeitamos os nossos, buscamos respeitar os dos demais. Nesta perspectiva entendemos que os nossos importantíssimos valores, o são para nós. Para outros, podem ser até mesmo perda de tempo. Poder ter esta visão nos distancia do fanatismo por aquilo que acreditamos e mostra que estamos abertos aos outros.

    Afinal de contas, em termos sociais é importante que todos possuam valores levemente diferentes. Eles nos guiam e se todos fossemos para o mesmo lado, a sociedade tal como a conhecemos não existira. Além disso, ela seria muito vulnerável, caso um caísse, todos cairiam. A pluralidade de valores é importante para assegurar que o social pode existir de várias formas e isso mantém o social assim como as pessoas. Aprender a perceber e usar nossos valores a nossa favor e a favor da sociedade é um aprendizado de humildade.

    Comentários